Centro Museus
1

Museu Arquidiocesano de Arte Sacra, 2003* CEP Centro

Av. República do Chile, 245 sub-solo  - Centro - Rio de Janeiro, RJ   20031-170
http://www.paroquiadaressurreicao.com.br/materias/mater12.html
A Igreja sempre se utilizou da arte como forma de anúncio da Palavra de Deus. Durante algum tempo, por exemplo, como boa parte do povo era analfabeta, usava-se a "Bíblia dos pobres", enorme e cheia de figuras, através das quais dava-se a evangelização. Assim, com o objetivo de reunir algumas obras de inspiração divina e promover uma síntese da presença da Igreja na história da arte no Brasil, idealizou-se o Museu Arquidiocesano de Arte Sacra, o MAAS. O museu reúne, em seu acervo, escultura, pintura, mobiliário, prataria, indumentária religiosa, medalhística, somando, ao todo, mais de 4.300 peças, nem todas, ainda, em exposição. Dentre as peças expostas, destacam-se a "Inspiração de São Pedro", pintada por Pedro Américo; uma cabeça de anjo esculpida por Mestre Valentim e que pertenceu à Igreja de São Pedro dos Clérigos, igreja esta, demolida para a construção da Av. Presidente Vargas; além de toda a prataria - objetos religiosos - que pertenceu à Catedral de Lisboa e que veio para o Brasil com D. João VI. Boa parte das peças do museu são provenientes do período Barroco, período este, caracterizado pelo excesso na ornamentação e pela exuberância das formas
2
Museu da Fazenda Nacional, 2002* CEP Centro
Av. Pres. Antonio Carlos, 375  - Castelo - Rio de Janeiro, RJ   20020-010
http://www.fazenda.gov.br/portugues/cultura/html/espaco/museu.htm
<iframe id='palyer2' width="300" height="250" src="//www.youtube.com/embed/croedytwCC8?rel=0&cc_load_policy=1" frameborder="0" allowfullscreen></iframe id='palyer2'>
Durante os 15 anos do primeiro governo de Getúlio Vargas, o Rio de Janeiro passou por profundas reformas urbanas e arquitetônicas. Entre 1920 e 1940, a cidade ganhou mais 600 mil habitantes. No campo da arquitetura, foram construídos novos prédios para os Ministérios da Guerra, da Fazenda e Educação e Saúde. A antiga sede do Ministério da Fazenda no Rio de Janeiro funcionava em um velho casarão, quase em ruínas, localizado na Av. Passos. Em julho de 1934 foi autorizada a construção de um edifício-sede, centralizando todas as repartições do Ministério da Fazenda e Tribunal de Contas, na antiga capital brasileira. O local escolhido foi a Esplanadado Castelo. O lançamento da pedra fundamental ocorreu em 3 de outubro de 1938, data escolhida em comemoração ao 8º aniversário da Revolução de1930. O ato foi presidido pelo então presidente da República Getúlio Vargas. Em novembro de 1943 foi inaugurada a nova sede do Ministério da Fazenda de estilo neo-clássico.
3
Museu da Polícia Civil, 2023* CEP Centro
Rua da Relação nº 40  - Centro - Rio de Janeiro, RJ   20231-110
http://www.policiacivil.rj.gov.br/museu/
<iframe id='palyer3' width="300" height="250" src="//www.youtube.com/embed/croedytwCC8?rel=0&cc_load_policy=1" frameborder="0" allowfullscreen></iframe id='palyer3'>
Atual sede do Museu da Polícia Civil, funcionou como sede da Polícia da Capital desde os primeiros anos da República, fatos marcantes da vida da nação e seus personagens tiveram relação com as atividades execidas nas suas dependências, quer de natureza política, tais como agitações políticas, revoluções, hostilidade dos países do Eixo e declaração de guerra, quer de natureza social envolvendo delinqüência, costumes e religiosidade, ou de natureza econômico-financeira no que tange as grandes fraudes e sonegações. <br> O imóvel histórico representa um dos mais belos exemplos da linguagem eclética da Arquitetura do Rio de Janeiro. Não bastasse a sua imponência volumétrica através do vocabulário arquitetônico do mais puro gosto eclético francês, recebeu a assinatura de paternidade de um dos mais destacados arquitetos do início do século XX, Heitor de Mello, que a partir da criação de um projeto com a imagem sofisticada de belle époque da sociedade carioca, engajou-se na atitude política do então governo da Capital Federal, no sentido de modernizar, embelezar e sanear a Cidade do Rio de Janeiro.
4
Museu do Amanhã, 2008* CEP Centro
Praça Mauá, 1  - Centro - Rio de Janeiro, RJ   20081-262
http://www.museudoamanha.org.br
<iframe id='palyer4' width="560" height="315" src="https://www.youtube.com/embed/EWCwRLqwnQ8" frameborder="0" allowfullscreen></iframe id='palyer4'>
O Museu do Amanhã é um museu de artes e ciências construído no Pier da Praça Mauá, no Centro do Rio de Janeiro, como âncora do projeto de revitalização urbana da Região Portuária da cidade, o Porto Maravilha. Projetado pelo arquiteto espanhol Santiago Calatrava, o Museu do Amanhã é uma iniciativa da Prefeitura do Rio, concebido e realizado em conjunto com a Fundação Roberto Marinho (Grupo Globo) e o Banco Santander como Patrocinador Master. Tem a BG Brasil como mantenedora e o apoio do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado do Ambiente, e do Governo Federal, por intermédio da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep). Orientado pelos valores da Sustentabilidade e da Convivência, o Museu busca promover a inovação, divulgar os avanços da ciência e publicar os sinais vitais do planeta, alertando para os riscos das mudanças climáticas provocadas pela degradação ambiental.
5
Museu Judaico do Rio de Janeiro, 2003* CEP Centro
Rua México, 90 1º andar  - Centro - Rio de Janeiro, RJ   20031-141
http://www.museujudaico.org.br/
<iframe id='palyer5' width="300" height="250" src="//www.youtube.com/embed/croedytwCC8?rel=0&cc_load_policy=1" frameborder="0" allowfullscreen></iframe id='palyer5'>
O Museu Judaico do Rio de Janeiro, fundado em 1977, com a doação de uma menorá (candelabro de sete braços, um dos principais símbolos do judaísmo), é um centro cultural dinâmico, integrado à vida da cidade com atividades estruturadas em torno do binômio preservação da memória/dinamização da cultura judaica.
6
Museu da Imagem e do Som (MIS), 2002* CEP Centro
Rua Rui Barbosa nº 1  - Centro - Rio de Janeiro, RJ   20021-320
   
http://www.mis.rj.gov.br/

<iframe id='palyer6' width="300" height="250" src="//www.youtube.com/embed/croedytwCC8?rel=0&cc_load_policy=1" frameborder="0" allowfullscreen></iframe id='palyer6'>
O Museu da Imagem e do Som (MIS) foi inaugurado em 3 de setembro de 1965 pelo então governador do estado da Guanabara, Carlos Lacerda. O MIS lançou um gênero pioneiro de museu audiovisual que seria seguido por outras capitais e cidades brasileiras, além de ter se constituído num centro cultural de vanguarda nas décadas de 60 e 70 do século XX, lugar de encontros e lançamentos de idéias e novos comportamentos. Além de abrigar importantes arquivos que atendem aos interesses de um público pesquisador amplo e diversificado, o prédio da Fundação Museu da Imagem e do Som é, em si mesmo, uma das mais belas peças de sua coleção, constituindo um exemplar histórico raro dos edifícios construídos para abrigar a Exposição do Centenário da Independência do Brasil, realizada em 1922. Localizado na Praça XV, e inserido na Zona Especial do Corredor Cultural da cidade do Rio de Janeiro, junto com o Museu Histórico Nacional, o Museu Naval, o Paço Imperial, a Casa França-Brasil e o Centro Cultural Banco do Brasil, em 1989 o Instituto Estadual de Patrimônio Cultural (Inepac) do Governo do Estado do Rio de Janeiro promoveu o tombamento do prédio. Em outubro de 1990, pela Lei nº 1.714, o MIS foi transformado numa fundação, dirigida por um presidente.
7
Museu Histórico Nacional, 2002* CEP Centro
Praça Marechal Âncora S/N°  - Centro - Rio de Janeiro, RJ   20021-200
http://www.museuhistoriconacional.com.br/
<iframe id='palyer7' width="560" height="315" src="https://www.youtube.com/embed/sEXL9ppxUGY" frameborder="0" allowfullscreen></iframe id='palyer7'>
Museu Histórico Nacional, criado em 1922, é um dos mais importantes museus do Brasil, reunindo um acervo de mais de 287.000 itens, entre os quais a maior coleção de numismática da América Latina.<br> O conjunto arquitetônico que abriga o Museu desenvolveu-se a partir do Forte de Santiago, na Ponta do Calabouço, um dos pontos estratégicos para a defesa da cidade do Rio de Janeiro. <br> Visando recuperar a arquitetura original, ampliar espaços destinados ao público, aprimorar os serviços oferecidos aos visitantes, democratizar o acesso dos mais diversos segmentos da sociedade e viabilizar uma circulação e um percurso adequados ao discurso museográfico, o conjunto arquitetônico que abriga o Museu passou, entre 2003 e 2006, por importantes obras de restauração e modernização.
8
Museu de Arte do Rio - MAR, 2008* CEP Centro
Praça Mauá, 5  - Centro - Rio de Janeiro, RJ   20081-240
http://www.museudeartedorio.org.br
<iframe id='palyer8' width="300" height="250" src="//www.youtube.com/embed/croedytwCC8?rel=0&cc_load_policy=1" frameborder="0" allowfullscreen></iframe id='palyer8'>
O Museu de Arte do Rio - MAR está instalado na Praça Mauá, em dois prédios de perfis heterogêneos e interligados: o Palacete Dom João VI, tombado e eclético, e o edifício vizinho, de estilo modernista – originalmente um terminal rodoviário. O antigo palacete abriga as salas de exposição do museu. O prédio vizinho é o espaço da Escola do Olhar, que é um ambiente para produção e provocação de experiências, coletivas e pessoais, com foco principal na formação de educadores da rede pública de ensino. o MAR promove uma leitura transversal da história da cidade, seu tecido social, sua vida simbólica, conflitos, contradições, desafios e expectativas sociais. Suas exposições unem dimensões históricas e contemporâneas da arte por meio de mostras de longa e curta duração, de âmbito nacional e internacional. O museu surge também com a missão de inscrever a arte no ensino público, por meio da Escola do Olhar.
9
Centro Cultural Banco do Brasil, 2001* CEP Centro
R. Primeiro de Março, 66  - Centro - Rio de Janeiro, RJ   20010
   
http://www.bb.com.br/cultura

<iframe id='palyer9' title="YouTube video player" width="300" height="250" src="https://www.youtube.com/embed/hm_f3PtQ3bw" frameborder="0" allowfullscreen></iframe id='palyer9'>
O Centro Cultural do Banco do Brasil (CCBB) do Rio de Janeiro é um dos quatro CCBBs do país, que também existem nas capitais Brasília, São Paulo e Belo Horizonte. Os Centros são espaços multidisciplinares com programação regular (seis dias por semana), nas áreas de artes cênicas, cinema, exposição, ideias (palestras, debates, seminários etc), música e programa educativo. O CCBB oferece ao público uma programação cultural que é referência no Rio de Janeiro e no Brasil. Com projetos nas mais diversas áreas, o Centro tem um volume de freqüentadores comparável ao de outras grandes instituições culturais do mundo.<br> Nos vários campos da arte, a programação procura oferecer obras que vão do clássico ao experimental, do erudito ao popular, dos grandes mestres aos talentos iniciantes. Esses critérios de seleção permitem ao CCBB alcançar freqüentadores com os mais abrangentes níveis de interesse. Instalado no número 66 da Rua Primeiro de Março, o Centro Cultural Banco do Brasil é uma das jóias arquitetônicas da Cidade. Seus espaços, organizados e adornados com elementos neoclássicos, abrigam três teatros, sala de cinema, sala de vídeo, cinco salas de exposições, biblioteca com 140 mil títulos, museu e arquivo histórico, videoteca e salão para conferências e palestras. O freqüentador dispõe ainda de restaurante, casa de chá, bombonière e loja de produtos culturais.
10
Paço Imperial, 2001* CEP Centro
Praça 15 de novembro, 48  - Centro - Rio de Janeiro, RJ   20010-010
 
http://www.pacoimperial.com.br

<iframe id='palyer10' width="420" height="315" src="https://www.youtube.com/embed/axei5HnyyP0" frameborder="0" allowfullscreen></iframe id='palyer10'>
O Paço Imperial é um Centro Cultural com rica programação artística, localizado na Praça XV de Novembro, no centro histórico da cidade, no prédio considerado o mais importante dos edifícios civis coloniais do Brasil. Foi primeiro a residência dos governadores da Capitania do Rio de Janeiro e depois passou a ser a casa de despachos, sucessivamente, do Vice-Rei do Brasil, do Rei de Portugal Dom João VI e dos imperadores do Brasil. Em sua restauração, na reconstituição da fachada, optou-se pela feição colonial, adquirida particularmente no período da ocupação pela Família Real Portuguesa, mas foram preservadas marcas e formas de vários outros momentos históricos. O Paço Imperial conta com uma diversificada programação de artes plásticas, cinema, teatro, música, biblioteca, atividades educativas, seminários, serviços de lojas e restaurantes. Percorrê-lo é fazer uma releitura do tempo inscrito em seus espaços, relacionando-os com épocas e fatos ocorridos. As exposições permanentes também são um ótimo programa cultural.
11
Museu Nacional de Belas Artes, 2004* CEP Centro
Av. Rio Branco, 199  - Centro - Rio de Janeiro, RJ   20040-008
http://www.mnba.gov.br
<iframe id='palyer11' width="300" height="250" src="//www.youtube.com/embed/croedytwCC8?rel=0&cc_load_policy=1" frameborder="0" allowfullscreen></iframe id='palyer11'>
O acervo do Museu Nacional de Belas Artes teve origem no conjunto de obras de arte trazido por D. João VI de Portugal, em 1808, ampliado alguns anos mais tarde com a coleção reunida por Joachin Lebreton, que chefiou a chamada Missão Artística Francesa, formando a mais importante pinacoteca do país.